Nossa História

Nossa História

Em Goiânia, é praticamente impossível saboreá-las sem se lembrar de Dona Nenén, uma das maiores referências no ramo. Atuando há mais de 35 anos, ela começou trabalhando na lanchonete do cunhado, senhor Alberto, no Mercado Central. “Comecei lavando vasilhas e aprendi a fazer a empada e os recheios”, lembra Nenén, que na verdade se chama Adnalda Cirqueira Cavalcante. O apelido foi dado pela mãe, quando ainda era criança. “Todos continuaram, aí ficou a vida inteira”, conta.
Há cinco anos, Nenén deixou o local de trabalho no Mercado Central e resolveu ser dona da sua própria lanchonete. Com o apoio da filha, a administradora Bruna Cirqueira Cavalcante, 28 anos, elas montaram uma pequena lanchonete no Setor Marista, que logo depois triplicou de tamanho e hoje atende inúmeros clientes em um espaço confortável com ar-condicionado, mesas na calçada e até estacionamento para carros.
O vendedor Enéas de Souza Junior, 41 anos, é cliente há uma década das empadinhas de Dona Nenén. “Conheci ela e suas empadas no Mercado Central, onde ia toda a semana. Hoje, por falta de tempo, venho umas duas vezes por mês”.
Nenén conta que a empada mais pedida é a tradicional de frango e a de carne de sol, mas que o pastel de bacalhau, frito na hora, também sai com frequência. “São cerca de 500 empadas por dia e todas tem bastante aceitação, mas a de frango sai mais”. O consultor de negócios Vinícius Meireles Barbosa, 37 anos, faz coro à preferência dos demais clientes. “Sempre quando venho como duas empadas, a de frango e a de carne de sol”.
Além dos 16 sabores de empada, sendo a de chocolate a única doce, a lanchonete também conta com outros salgados como tortas, pastéis, coxinha, enroladinho, esfiha e bebidas como café, sucos e refrigerantes. Atualmente, Dona Nenén conta com cinco funcionários, mas garante que é ela quem coloca a mão na massa. “Só eu faço os recheios das empadas, preparo o almoço e também ajudo no atendimento”.
Normalmente os chefes de cozinha sempre dizem que o amor é o segredo do bom prato. Nenén confirma que há algo a mais na receita. “Tem o meu segredo, mas não posso revelar”. Cada cliente arrisca em um segredo da cozinheira. “Empada sempre quentinha e bem recheada”, diz Enéas. Já Vinícius vai além. “O diferencial é o atendimento e o carisma que ela tem com os clientes”.
Segredos existem e motivos não faltam para conhecer as famosas empadinhas de Dona Nenén.
Princípios

Princípios

Missão:
Receber a todos oferecendo o melhor do sabor da empadinha goiana com qualidade e carinho.

Visão:
A Empadinha da Nenen existe para agregar harmonia às pessoas por meio da alimentação.

Valores:
Intensificando bons momentos.

 

Sabores

Sabores

Sabores que conquistam

Empadinha da Nenen, no Setor Marista, produz mais de 1,5 mil salgados diariamente e atrai clientes com atendimento diferenciado

GO

Adinalda Cirqueira Cavalcante não imaginava que o apelido dado pela mãe quando criança fosse se tornar tão popular. Dona Nenen, como é conhecida, usou o nome para batizar seu negócio, que, desde 2007, tem atraído cada vez mais clientes. Trata-se da Empadinha da Nenen, lanchonete no Setor Marista, em Goiânia (GO), que conquistou o público pela diversidade de sabores e, principalmente, pela simpatia e carinho com que a senhora, hoje com 61 anos, atende.

Dona Nenen chegou à capital aos 15 anos de idade, vinda do Piauí. Adquiriu experiência como cozinheira depois de trabalhar 30 anos no Mercado Central. Enquanto lavava louças, ficava de olho nas colegas que preparavam salgados no local. Foi assim que aprendeu a fazer as famosas empadas. “Ficava olhando e sabia que eu também podia fazer.”

Surgiu, então, a ideia de montar o próprio negócio. Com a ajuda da filha Bruna e do genro, conseguiu encontrar uma pequena sala comercial, propícia para começar a vender seus produtos. O problema era que ela não tinha dinheiro para pagar o primeiro aluguel. Mas a sorte estava ao seu lado.

O dono da sala propôs pagar o primeiro mês de aluguel, no valor de R$ 500, para que a família começasse. Os ingredientes para fazer os salgados foram comprados com cartão de crédito. E, em um mês, ela conseguiu pagar todas as dívidas. O negócio começou a prosperar. “Esse era o sonho da minha vida e sabia que conseguiria”, declara.

Os clientes do Mercado Central passaram a frequentar a Empada da Nenen, no Marista. Cada dia, mais pessoas conheciam os sabores e, aquela primeira sala, ficou pequena para tantos fregueses. Depois de cinco anos, Dona Nenen alugou mais duas salas para expandir o negócio.

O espaço antigo, agora, é usado como cozinha. O número de funcionários passou de um para seis. Diariamente, ela faz aproximadamente 1,5 mil empadas, suficientes para atender à clientela. São pelos menos 14 sabores, sendo que a mais famosa é a de frango (tradicional). A empreendedora ainda faz entregas, disponibiliza outros salgados, como pastel e, há oito meses, passou a servir almoço.

Até hoje, é Dona Nenen quem prepara as empadas. Ela acorda todos os dias às 4 horas da manhã para fazer os recheios e a massa. Os ajudantes apenas montam o salgado. Enquanto está na lanchonete, divide o tempo entre a cozinha e o balcão. Questionada se sente cansaço, diz que não: “O amor com que trabalho me dá forças todos os dias”. As empadas que por ventura sobram, são doadas para creches.

O segredo para o sucesso, segundo diz, é o carinho e o amor com que prepara tudo e atenção que faz questão de dispensar à clientela. “Adoro atender meus clientes e fico feliz de ver a satisfação de todos. Ainda mais quando me chamam carinhosamente de dona ou tia Nenen”, conta.

Esforço
O esforço de Dona Nenen rendeu a ela, em 2011, o prêmio Sebrae Mulher de Negócios. Mais um orgulho para a piauiense de jeito tímido, mas com forte espírito empreendedor. “Esse prêmio me deixou muito orgulhosa. Toda a família ficou. Não conseguiria tudo isso sem a ajuda da minha filha Bruna. Ela é responsável por tudo”, diz.

Imprensa

Imprensa



1
3
4